Passar para o Conteúdo Principal

siga-nos Facebook Alfândaga da Fé Youtube Flickr

Hoje
Hoje
Amanhã
Amanhã
Depois
Depois

União das Freguesias de Gebelim e Soeima

Órgãos Autárquicos da Freguesia

Presidente: Hélio José Madureira Aires Presidente: Nuno Miguel Escobar Correia
Secretário: Aparício Santos Caldeira Neto 1º Secretário : Paulo Alexandre Aires imentel
Tesoureiro: Domingos Dinis Félix 2º Secretário: Solange Cristina Pousado Rachado

Contactos

 

     Telefone

Fax

E-mail

Geral

 

 

 

Presidente

927004531

 

aires.helio80@hotmail.com 

Secretário

967796516

 

 

Tesoureiro

961045998

 

 

Morada

União das Freguesia de Gebelim e Soeima

Rua  Principal, n.º148

5350-250 Gebelim

Horário de Atendimento

Segunda a Sexta: 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30

Descrição da Freguesia

Aldeias anexas

soeima

Distância à sede do concelho

19km

Área da freguesia

30,60km²

População

250habitantes (censos 2011)

GEBELIM


imagemA aldeia de Gebelim situa-se nas faldas da Serra de Bornes encravada entre montes. O próprio toponímico da localidade está associado à sua situação geográfica e morfológica. Segundo Pinho Leal , Gebelim é uma palavra de origem árabe, resultante da corrupção da palavra "Jabalain", que significa "dois montes". Não sendo de estranhar esta origem, embora não se possa comprovar, é certo que por ali existem muitos topónimos e referências aos mouros, como a fraga dos mouros, onde existem pequenas cavernas. Notável, igualmente, é o facto de antigamente se ter explorado cal nesta freguesia, referindo João Vilares que ali existiram cinquenta fornos; de qualquer forma, não deixa de ser importante constatar a existência de calcário a cerca de mil metros de altitude.
Hoje, a aldeia ainda continua a encontrar nas terras da Serra de Bornes o seu principal sustente.
O ponto mais interessante da freguesia é mesmo o local onde se situa a capela e o santuário de S. Bernardino, construído em 1743.

SOEIMA

imagemPovoação voltada a nascente, espraia-se pela encosta da antiga Serra de Monte Mel, cuja atual designação de Bornes é muito menos saborosa. Aldeia alcandorada perto dos mil metros de altitude, o povo tem uma urbanização em escadario dividida transversalmente pela estrada municipal.
A castanha é um dos principais produtos agrícolas da aldeia e ordena a paisagem nos campos à volta. A rigidez do clima no inverno cobre os soutos e a floresta com um manto branco de neve. Ao longo da ribeira do Rabo do Burro, aqui adornada de freixos, podemos ver, ainda hoje, as ruínas de vários moinhos de água, sendo que cinco formam um interessante conjunto arquitectónico.
O toponímico Soeima é de origem árabe, derivando do nome Zoleiman, que era muito usado na época da ocupação árabe. Desta forma, a fundação da atual freguesia remonta a esse período.
No século XIII, Soeima era pertença de D. Nuno Martins, nobre muito rico da região.
Durante o período de Guerra Civil (1832-1834), entre Liberais e Absolutistas, Soeima foi palco de violentos confrontos entre os miguelistas, em grande número na freguesia, e os partidários de D. Pedro.
Até ao ano de 1855, esta freguesia integrou o concelho de Chacim e, depois, o de Macedo de Cavaleiros, tendo, finalmente, passado a pertencer ao de Alfândega da Fé.

  • logotipo sgs
  • logotipo compete
  • wiremaze logotipo

imagem